MIMESIS MORTALIS

 

SINOPSE

No Princípio uma narrativa. Clássica, como se quer. Não. No principio, a normalidade. E quotidianamente vamos existindo. Mas um dia, vindo de outro lugar, o caos. O perigo. A iminência de um lugar comum, ou a iminência como um lugar comum. Você decide. Cenário? De guerra. Mas não há tempo. É o principio do fim. Apocalipse. Now? Uma sinopse vaga ou um bom plano de fuga?We don’t know for sure. We may never know! Algo vai mal no reino da... (pára! Vigésimo mandamento: não citarás). É do universo da Ficção Científica de série B que nasce a 6ª criação de Plataforma285. Como um espaço de cruzamento entre o cinema e o teatro, entre a conceptualidade e o mainstream que é, na sua essência, uma reflexão sobre o sentido da arte. Mimesis Mortalis não é um estudo para um filme. Mimesis Mortalis não é um projecto maior sobre uma arte menor. Mimesis Mortalis é uma experiência. Um espectáculo trash pós-dramático sci-fi de série Z onde, à falta de enredo, salvam-se os heróis.

FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA

Direcção Artística: Raimundo Cosme • Co-criação e Interpretação: Cecília Henriques, Izzy Bunny, Luís Magalhães, Paulo Lages, Raimundo Cosme e Sara Barros Leitão • Direcção Musical: Izzy Bunny • Espaço Cénico: Rita Anahory e Rosana Pereira • Figurinos: Marta Passadeiras • Apoio Dramatúrgico: Ricardo Oliveira • Produção Executiva: Rosário Faria • Direcção Técnica: Ricardo Foz • Fotografia de Cena: Rosana Pereira • Projecto Financiado Por: Fundação Calouste Gulbenkian • Apoios: Lx Factory; Alkantara; Temps d' Images; Sola do Sapato; Copyspot; Cão Solteiro; Zeapop; Causas Comuns; Teatro do Vestido; O Chão de Oliva • Projecto Financiado Por: Fundação Calouste Gulbenkian

CALENDÁRIO DE PROJECTO

Residência Artística: Janeiro a Setembro de 2014, Cão Solteiro (Lisboa); Outubro de 2014, Teatro do Vestido (Lisboa).

Apresentações: De 13 a 30 de Novembro de 2014, Espaço ZOOT - LX Factory